Quem não dança, DANÇA!!!

Quem diria? Um Ogro fazendo dança de salão!!

É isso ai. Nunca imaginei-me dançando um xote, ou uma salsa, samba de gafieira então nem fudendo. Mas está acontecendo e tem sido muito bom para mim.

No ultimo ano, por muita insistência da minha ex-esposa, na época minha esposa (este é um outro post a ser escrito), fui convencido a tentar aprender a dançar. Timidamente, todos de frente para uma parede espelhada, eu tentava seguir o professor em um dois pra la dois pra cá, de um xote, imagina “… abre junta, abre junta…” COMPLICADÍSSIMO, aquilo era extremamente difícil, mas o método de ensino do Prof. Cido Arruda mostrou-se extremamente eficiente em transformar um bloco de concreto (eu em relação à dança) em um aspirante a dançarino (entenda-se por dançarino alguém que engana bem). Depois do primeiro contato, e não foi só na primeira aula, levei um bom tempo até entender dois pra la dois pra cá, comecei a ser seduzido pela dança de salão, todo o contexto que envolve a dança à dois, a relação criada entre dama e cavalheiro, a linguagem diferente de entendimento essencial que se traduz em passos e harmonia de movimentos. Quando começamos a dançar de fato, quando realmente conduzimos uma dama à executar movimentos que planejamos, quando arrancamos sorrisos delas com passos inesperados ou conduções firmes, claras e carinhosas, dois pensamentos vem instantaneamente “… PUTA QUE O PARIU, QUE TESÃO É ESSA PORRA, EU SOU O CARA…” e “…MEU AMIGO, SE EU SOUBESSE DISSO ANTES, NÃO IA SOBRAR MULHER…”, esses pensamentos e suas variações de tom e palavras são verdades, durante aqueles 4 minutos de musica onde vc conduziu, surpreedeu, cuidou e dançou voce foi o cara mesmo, e sim mulher adora homem que sabe dançar.

A dança de salão aumenta a auto estima, aumenta a virilidade masculina (sim aumenta), te ensina como as mulheres querem ser tratadas ( e as vezes nem sabem disso), ensina a mulher como se entregar à condução do cavelheiro entre outros inumeros ensinamentos extraidos da dança de salão (capacidade de planejamento, sensualidade, amizade, cumplicidade etc.).

Hoje fazendo aulas de dança de salão quase que diariamente à pouco mais de um ano, posso dizer que a dança de salão mudou minha vida para melhor, aprendi muito, cresci muito e hoje, adoro ajudar os iniciantes a entender o monstruoso dois pra lá dois pra cá.

ADEUS

Tudo bem que é um assunto batido, mas eu não podia deixar de dar o meu “pitaco”.

A cada dia q passa ficam mais claros os absurdos cometidos em nome da religião e em nome de deus. Será que ninguém mais percebe que a religião é uma forma antiquada de censura, tão antiquada que seus conceitos não enxergam a evolução das sociedades. É  inadmissível que em pleno século XXI o líder religioso de uma das maiores religiões do mundo não entender que o mundo não precisa de mais pessoas, não precisa de mais pessoas com AIDS, ele só pode ser muito BURRO mesmo. Pior as pessoas que seguem as religiões, falo de todas as religiões, não tem exceção. Considere o atraso geado pela igreja católica, as mortes e atrocidades por eles (católicos) cometidos na idade média. Não podemos nos esquecer dos muçulmanos e judeus quer por séculos se matam em nome de deus. Não pensem que me esqueci dos evangélicos que entregam suas economias aos pastores e os ajudam a acumular verdadeiras fortunas, dinheiro esse que compraria seu espaço no céu. O bicho tem q ser muito ignorante ou ter muito medo desse tal deus pra cair numa ladainha dessas.  A crença, e a religião, são o principal fator que impede o avanço cientifico e tecnológico da humanidade.  Muitos me questionariam sobre o respeito às crenças de outras pessoas, mas e o respeito com a humanidade? E o respeito com o raciocínio lógico? E o respeito com a liberdade? Se deus abriu o mar vermelho para salvar os escravos do Egito por que naum fez nada pelos judeus nos campos de concentração??? E pelos escravos africanos?  Que tipo de deus é esse que permite a fome nos países africanos, ou as crianças que morrem de fome em todos os países de terceiro mundo. Como não enxergar os furos nessa estória fantasiosa, nestas teorias criacionistas absurdas? Só o sujeito sendo muito limitado mesmo.

Vou parar por aqui, deixa os casos de padres e religiosos pedófilos para a próxima.

On line

                Quando se fala em jogos on line, MSN, Orkut, blog internet, logo vemos as torcidas de nariz, os imigrantes digitais e não-digitais começam a tecer comentários do tipo: “Que horror, logo não teremos mais contato humano” ou “ Que ridículo ficar conversando através do PC, pega o telefone e liga duma vez.” . Acredito que a reação venha do medo, é do medo,  medo de não entender a tecnologia, de estar excluído por não ter aptidão com o “negócio” ou da preguiça de aprender. Mas não se preocupem, quando o carro foi inventado foi desacreditado por pessoas influentes como donos de banco entre outros, quando Steve Jobs tentou vender seu invento ao então presidente da HP (essa mesma, HP impressoras, calculadoras e PC´s), um aparelho chamado de computador pessoal, recebeu em resposta um deboche do tipo: “ pra que as pessoas normais vão querem um computador???” ambos estão por toda parte, carros e PC´s são dois ícones de revoluções tecnológicas que mudaram o funcionamento do mundo, a internet também é um destes ícones e como manda o figurino enfrenta suas oposições.

                Mas por mais que os contras esperneiem, pulem, briguem, arranquem os cabelos (proíbam ou limitem o uso da net para seus filhos) a internet toma conta da vida dos seres humanos, vai estar cada vez mais encalacrada no dia a dia das pessoas e quem não estiver de bem com ela vai sofrer as conseqüências. Não pensem que sou contra um passeio ao ar livre, uma corrida no parque, montanha (adoro montanha), bicicleta futebol entre outros, não sou, gosto e aprovo todas essas atividades longe do PC, apenas acredito que não devemos exagerar. Assim como não devemos só tomar refrigerante ou só assistir televisão, também não devemos só jogar bola, temos que balancear deveres (escola e trabalho) com PC, TV e atividades físicas. Pais e filhos, não esqueçam, existirão 2 tipos de pessoas no mundo, as que se dão bem e sabem lidar com a internet e as que não sabem, assim como foi com os automóveis e com os PC´s.

Coisas que perdemos pelo caminho

Galera ta ai um filme q vale a locação.

Com uma história envolvente e atuaçõs acima da média a diretora Susanne Bier apresenta um drama dinamico e realista. O filme ainda traz uma riqueza fotográfica de primeira.

Audrey (Halle Berry)  mãe de duas crianças, uma mulher que subitamente se tornou viúva passa a ser apoiada por Jerry (Benicio Del Toro) melhor amigo de seu falecido marido. Jerry, viciado em heroina, é convidado a morar com a família e aos poucos vai ajudando-os a confrontar a perda.

Halle Berry surpreende, Benicio Del Toro é ele e não carece comentario.

Assistam !!!

Que tipo de jornalismo é esse? Retportagem, até onde sei, reporta fatos, não inventa e não aumenta.

A imprensa de modo geral, esta mais interessada em audiencia, IBOPE e autopromoção do que fazer reportagens. Na televisão quase não temos mais jornalistas mas sim especialistas em criar “bafafas”, seja pela parcialidade da reportagem, demosntrada das formas mais explicitas às mais sutis (aquelas caras e bocas, de ator de quinta, após a reportagem ).

Estes dias estava almoçando na casa da minha avó, e vó geralmente assiste estes programas sensacionalistas, quando me deparei com a seguinte situação, o apresentador  (esse é profissional, mas naum de jornalismo) entrevistava uma mãe que teve a filha assassinada em rituais de “magia negra” semanas atras (sentiu o senssacionalismo?), eles comentavam outro crime ocorrido, onde um garoto foi violentado e assassinado. O apresentador pergunta a mãe (da menina assassinda) se ela acreditava na possibilidade de os dois crimes terem sido praticados pelo mesmo agressor, ela responde que teria ido ao local do ocorrido e conversado com os PERITOS que descartaram a possibilidade de relação entre os dois crimes. Mas o apresentador já tinha feito a chamada para matéria relacionando os crimes umas três vezes, ele tinha q tentar consertar (se os crimes tem relação o bafafa é mior, da mais ibope) entaum o apresentador voltou a perguntar e a tentar criar uma relação entre os crimes, a mãe responde que esta possibilidade estava descartada e que seria forçar um pouco a barra relacionar um crime com o outro, não contente o “profissional” insiste e a mãe responde simplismente “ Isso é forçar a barra”. Ficou por isso a mãe foi retirada do estudio e no bloco seguinte ele volta a fazer a chamada relacionando os dois crimes (é pra cai o cu da bunda).

Esta é a caricatura da imprensa brasileira, comprometida em gerar audiencia, nem q pra isso tenha q aumentar ou omitir. O jornal não trata mais de fatos importantes ou de informação trata de bafafa. Jornal virou negócio, não só pelo espaço vendio entre uma matéria e outra mas também pela maneira como a matéria é apresentada, pois via de regra apresenta ponto, sem contraponto, matéria comprada, encomendada na cara dura (do tipo juiz de futebol que foi comprado pra apitar um penalti que não existe). Não se iludam, os maiores (emissora grande, revista de maior circulação…) alcançaram esta posição pois fizeram direitinho a função de omitir, inventar e manipular em favor próprio, estes são ainda piores.

De repente BLOG!

De tanto ouvir falar, receber links (visitar alguns), me convenceram a criar um blog. Será que tenho o que colocar aqui? Prometo tentar, prometo ser polemico, engraçado, despojado, realista, abstrato, relevante e irrelevante…… prometo tudo e assim, prometo nada pq tudo é sim e não ao mesmo tempo.

Quem sabe eu consiga tornar esta pagina um meio de comunicação, expressão, discussão que seja interessante o suficiente para que eu dedique um tempo á isso.